Erro Médico

Pais denunciam erro médico após criança morrer durante o parto, em Ibirité

Os pais de uma criança que morreu durante o parto denunciam erro médico por parte do Hospital e Maternidade Regional de Ibirité, na Grande BH, no início da tarde de sexta-feira (4). 

Um homem, de 50 anos, contou à Polícia Militar quer levou a esposa, de 19, para a unidade de saúde quando ela começou a sentir as contrações. No local, a bolsa amniótica se rompeu e os trabalhos de parto foram iniciados.

De acordo com o boletim de ocorrência, o homem teria pedido à equipe médica que realizasse o parto cesariana. No entanto, os profissionais teriam feito normal, com uso de fórceps. Para o denunciante, o uso do instrumento - que auxilia na extração do bebê em determinadas condições - foi determinante para o óbito.

À PM, os três médicos que atenderam o caso afirmaram que o uso do fórceps obstétrico foi necessário devido à queda do batimento cardíaco fetal da criança. Declaram ainda que o emprego do equipamento não causou lesões ao recém-nascido, que foi retirado às 14h21, mas sofreu paradas cardíacas em seguida.

Ainda segundo os médicos, em relato à polícia, foram feitas tentativas de reanimação do bebê, mas o mesmo não resistiu e faleceu. De acordo com a equipe médica, a mãe chegou ao hospital com uma evolução para parto normal, com dilatação adequada para esse fim. Além disso, foi feita a analgesia da mulher, a pedido da própria paciente.

A reportagem procurou o hospital, mas não obteve resposta sobre o caso. O espaço fica aberto para se pronunciarem.

O corpo do bebê foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) para perícia.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Ibirité, que investigará o caso.

Fonte: HojeEmDia 
Pais denunciam erro médico após criança morrer durante o parto, em Ibirité Reviewed by Fernando Mendes on setembro 10, 2020 Rating: 5
Todos os Direitos Reservados - Erro Médico 2021 ©

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Imagens de tema por Ollustrator. Tecnologia do Blogger.